CURSO PARA GESTANTES

O Hospital PUC-Campinas oferece Curso para Gestantes. As gestantes, os futuros papais e acompanhantes poderão esclarecer dúvidas sobre o nascimento e os cuidados com o bebê participando dos encontros que acontecem em quatro edições durante o ano. A gestante poderá escolher o mês de sua preferência, pois serão abordados os mesmos módulos nos dois meses.

As palestras são ministradas por uma equipe interdisciplinar e o programa é dividido em quatro módulos. O primeiro abordará conhecendo a maternidade, gestação: da concepção ao desenvolvimento e cuidado corporal na gestação. No segundo, gestação e suas emoções, nutrição na gestação e cuidados dentários na gestação. No terceiro, aleitamento materno, cuidados com o bebê (vacinas) e acidentes na infância. No quarto e último módulo serão abordados medidas para alívio da dor (analgesia do parto) e parto e pós-parto.

Como é realizado?

O curso é gratuito e acontece em dois períodos durante o ano, no anfiteatro Prof. Dr. Silvio Carvalhal do próprio hospital. As interessadas podem realizar a inscrição pelo telefone 3343-8655.

Em virtude da pandemia do Covid-19 o Curso para Gestantes foi suspenso.

Mas pensando nesse momento cheio de dúvidas e descobertas, o Hospital PUC-Campinas disponibilizou gratuitamente um material informativo sobre a gestação!

  • Lives com especialistas
  • Vídeo Aulas
  • Guias informativos
  • Notícias e matérias Relacionadas

Como funciona o Curso Virtual? 

Após realizar a inscrição no formulário você receberá um email com o link de acesso ao curso no Youtube.

Ao término do curso você poderá solicitar o certificado por email para ai@hospitaldapuc-campinas.com.br

Inscrição para o Curso de Gestante

VÍDEOS

A primeira mamada

Higiene do bebê

Expectativas no parto

Semana da Amamentação

Bebês, Crianças e a COVID-19

A MATERNIDADE

Na área materno-infantil há o incentivo ao aleitamento materno, o pai assiste o parto e o bebê permanece todo o tempo com a mãe. O bebê faz no Hospital os exames do pezinho e de audiometria. Há inclusive um cartório de registro dentro do Hospital.

O Hospital PUC-Campinas-Campinas oferece:

  • equipe médica composta por docentes da PUC-Campinas;
  • centro obstétrico com equipamentos de alta tecnologia;
  • alojamento conjunto com área verde;
  • chá da tarde com vídeos e folders orientativos sobre o aleitamento materno e sobre os cuidados do bebê;
  • horário de visita estendido: das 8h às 12h e das 14h às 18h.

Além disso, o Hospital PUC-Campinas-Campinas permite:

A entrada de um acompanhante na sala de parto, durante o nascimento.

Agendamento de visita

Os futuros pais poderão conhecer as instalações da Maternidade do Hospital, basta agendar uma visita de segunda a sexta-feira, das 9 às 11h e das 14 às 16h, pelo telefone (19) 3343-8354 ou 3343-8557 para atendimento no SUS e no convênio privado 3343-8478 ou 3343-8480, falar com as enfermeiras chefes.

ATENÇÃO: em virtude da pandemia os cursos presenciais e visitas estão suspensos ou podem ocorrer de outra forma. Entre em contato para maiores informações.

INFORMATIVOS

ACONTECE

PERGUNTAS & RESPOSTAS

Leite materno é forte e adequado para o bebê

O leite materno é forte e adequado para o bebê, que não vai necessitar de outro alimento até o 6 meses de idade. Depois dessa idade o ato de amamentar deve ser mantido e a alimentação complementar deve ser introduzida.

Será que existe leite fraco?

Não. O leite nunca é fraco.

A aparência do leite muda conforme a fase da amamentação: nos primeiros dias o leite é geralmente. É o colostro, leite concentrado, nutritivo e com muitos anticorpos. É a primeira vacina do bebê. No começo da vida é muito importante que ele receba o colostro a toda hora. Além de dar proteção, ajuda a treinar o o jeito de mamar. Com o passar do tempo, o peito produz leite adequado às necessidades e à idade do bebê, mudando de aparência conforme a duração da mamada. No início ele é mais aguado e ao final da mamada é mais gorduroso.

O que fazer para ter bastante leite?

A produção do leite acontece quando o bebê suga.

Quando o bebê começa a mamar, quando nasce, ainda na sala de parto, a descida e a produção do leite são mais rápidas. Quanto mais o bebê mama, mais leite se produz. A produção do leite acontece quando o bebê suga. Beba no mínimo quatro copos de água por dia. Para manter boa produção de leite, a mãe deve oferecer o peito ao bebê sempre que ele quiser e amamentar durante a noite. Descansar também ajuda. Para o bebê mamar mais, não dê a ele chás, água, sucos, ou outro tipo de leite nos primeiros meses de vida.

Como amamentar o bebê?

A mãe deve estar confortável.

A mãe deve estar confortável. Se achar necessário poderá apoiar os pés, os braços e as costas. O uso de travesseiros costuma ajudar. A posição do bebê também é importante, ele precisa estar de frente para o peito, bem encostado no corpo da mãe, com o bumbum apoiado pela mão da mamãe. Quando o bebê abocanha uma grande parte da aréola, aquela parte mais escura do peito em volta do bico, fica mais fácil extrair o leite de dentro do peito para a boca. Isso mantém uma boa produção de leite e protege o peito das rachaduras. Uma dica para o bebê abrir bem a boca e pegar bastante aréola: passe o bico do peito na parte que fica entra a boca e o nariz. Há mais aréola visível acima da boca do que abaixo. A criança deve esvaziar totalmente uma mama, para então depois ou na próxima mamada mamar da outra mama.

O que fazer para evitar rachaduras?

Passar o próprio leite, depois das mamadas, limpa e proteje a aréola.

Para não tirar a proteção natural da pele da aréola, não passe cremes, sabonetes ou loções e evite esfregar ou massagear os mamilos. Passar o próprio leite, depois das mamadas, limpa e proteje a aréola. Ensinar o bebê a abrir bem a boca na hora de abocanhar e amamentar é o mais importante para prevenir e evitar as rachaduras.

Como evitar que o leite empedre?

Para evitar o empedramento.

Toda vez que o peito estiver muito cheio ou pesado ele deve ser esvaziado. Para retirar o leite do peito, faça massagens suaves em todo o peito. Depois, coloque o polegar e o indicador na linha que divide a aréola do restanto do peito e aperte suavemente um dedo contra o outro. O leite inicialmente sai em gostas e lofo após em pequenos jatos.

Por que não se deve usar mamadeira ou chupeta

Quando o bebê experimenta outro bico dentro da boca, ele pode ficar confuso.

Quando o bebê experimenta outro bico dentro da boca, ele pode ficar confuso e começar a atrapalhar-se na hora de mamar – às vezes isso leva-o a abandonar o peito. Além disso, as mamadeiras e chupetas são difícieis de limpar e esterilizar, podendo causar infecções.

A alimentação pode prejudicar a amamentação?

Não.

A maioria dos alimentos não afeta a amamentação. Comer um pouco mais que o habitual é suficiente para essa fase em que o corpo está produzindo leite. Os alimentos ácidos não “talham,” o leite. Não é necessário tomar mais leite de vaca para produzir leite. Recomenda-se que a mãe ingira quatro copos de água por dia. Café, chá preto ou mate e refrigerantes em grande quantidade podem provocar cólicas no bebê. Parar temporariamente com eles vai mostrar se são os causadores das cólicas. As bebidas alcoólicas e o cigarro são desconselháveis porque podem afetar a saúde do bebê.

O que ser feito para produzir mais leite?

Muitas mulheres voltam para suas atividades normais e nem sempre conseguem tempo para descansar.

Além de todo o trabalho que já faziam antes, elas também estão produzindo leite. Descansar, sempre que possível, nos intervalos das mamadas pode ajudar.

Qual é a idade de parar de amamentar?

A amamentação é recomendada até 2 anos ou mais.

O leite acompanha o crescimento do bebê e ainda contém proteínas, vitaminas, energia e anticorpos para a melhor proteção da criança. Depois de 2 anos de idade, mãe e bebê devem decidir se continuam ou não.

Semana Mundial da Amamentação

1 a 7 de agosto

Dentre as atividades desenvolvidas visando à mobilização social, o Brasil comemora anualmente a Semana Mundial da Amamentação, entre os dias 1 e 7 de agosto, e o Dia Nacional de Doação de Leite Humano, em 1 de outubro. As comemorações configuram-se como um importante marketing social capaz de aumentar os índices de aleitamento materndo, além de sensibiliar novas doadoras de leite materno.

Grávida pode continuar a amamentar?

Sim.

Uma nova gestação não prejudica o leite, mesmo que mude um pouquinho o seu gosto. O bebê às vezes estranha, mas logo se acostuma. A amamentação não costuma prejudicar o bebê que está se formando. O médico ou profissional que acompanha o pré-natal deve orientar essa nova gravidez.

Benefícios do Aleitamento Materno

O leite materno é um alimento completo.

O leite materno é um alimento completo. Isso significa que, até os 6 meses, o bebê não precisa de nenhum outro alimento (chá, suco, água ou outro leite). Depois dos 6 meses, a amamentação deve ser complementada com outros alimentos.
É bom que o bebê continue sendo amamentado até 2 anos ou mais. Quanto mais tempo o bebê mamar no peito, melhor para ele e para a mãe.

Benefícios para o bebê
– O leite materno tem tudo o que o bebê precisa até os 6 meses, inclusive água, e é de mais fácil digestão do que qualquer outro leite, porque foi feito para ele.
– Funciona como uma verdadeira vacina, protegendo a criança de muitas doenças.
– Além disso, é limpo, está sempre pronto e quentinho.
– A amamentação favorece um contato mais íntimo entre a mãe e o bebê.
– Sugar o peito é um excelente exercício para o desenvolvimento da face da criança, ajuda a ter dentes bonitos, a desenvolver a fala e a ter uma boa respiração.

 Benefícios para a mãe
– Reduz o peso mais rapidamente após o parto.
– Ajuda o útero a recuperar seu tamanho normal, diminuindo o risco de hemorragia de anemia após o parto.
– Reduz o risco de diabetes.
– Reduz o risco de câncer de mama e de ovário.
– Pode ser um método natural para evitar uma nova gravidez nos primeiros seis meses desde que a mãe esteja amamentando exclusivamente (a criança não recebe nenhum outro alimento) e em livre demanda (dia e noite, sempre que o bebê quiser) e ainda não tenha menstruado.